Partilhar:

Nova opção de difusor AMBAR para a nossa família AVATAR

“Uma melhoria significativa em custos, fluxos e potências para a proteção do céu”

Desde 1988, com a introdução da Lei 31/1988 sobre Proteção da Qualidade Astronómica dos Observatórios do Instituto de Astrofísica das Canárias, comummente conhecida como “Lei do Céu”, os fabricantes de iluminação de exterior foram tomando consciência sobre os efeitos contaminantes (a nível lumínico) dos diferentes espetros luminosos em função da temperatura da cor, emissão para o hemisfério superior, tipo de fonte lumínica, etc.

Para complementar as nossas opções disponíveis ao cumprir as condições mais restritivas da regulamentação, apresentamos a solução AVATAR com opção de difusor AMBAR. O objetivo principal é conseguir filtrar a zona não desejável do espetro, permitindo-nos cumprir os regulamentos e aproveitando os últimos desenvolvimentos de fluxo lumínico de leds 3535 de alta potência com base cerâmica. Isto permite aumentar a potência das luminárias tradicionais com led PCA, melhorar o fluxo e otimizar os custos.

A nova solução AVATAR com opção de difusor âmbar traz vantagens para a instalação como:

  • Para AVATAR 12 leds atingimos 2511 lm aumentando 41% sobre o fluxo máximo, para AVATAR 24 leds atingimos 4922 lm aumentando 42% sobre o fluxo máximo, para AVATAR L 48 leds atingimos 9117 lm aumentando 35% sobre o fluxo máximo e para AVATAR XL 64 leds atingimos 10461 lm aumentando 10% sobre o fluxo máximo.
  • Graças a AVATAR XL de 152,8 W, no nosso catálogo oferecemos o maior fluxo luminoso disponível para este espectro.
  • Com a inclusão do filtro PC-Âmbar, juntamente com leds de elevada potência de base cerâmica como componente lumínico, melhorámos as capacidades de fluxo presentes nos LEDS PC-Âmbar puros. 
  • Esta solução permite ultrapassar eventuais falhas no fornecimento de matérias-primas decorrentes da crise de componentes. 
  • O filtro PC Âmbar permitir-nos-á ter no mercado uma luminária em conformidade com a IAC, norma da GENERALITAT DE CATALUNYA e ÍNDICE ESPECTRAL G da ANDALUZIA, além de aceder a concursos em que se exija a disponibilidade de uma tonalidade por filtragem.

Quando falamos de contaminação lumínica gerada pela iluminação artificial, sem entrar na complexidade técnica e de forma muito resumida, entendemo-la como a interação que se produz entre determinados comprimentos de onda presentes nos sistemas de iluminação com o ambiente e a biodiversidade circundante.

Para evitar essa contaminação na medida do possível, devemos adotar medidas, como limitar ao máximo a emissão de fluxo luminoso para o hemisfério superior e otimizar a emissão luminosa na parte do espetro correspondente aos azuis (os quais sofrem em maior medida a dispersão de RAYLEIGH em ar limpo e a dispersão de MIE em ar com aerossóis).

Com a finalidade de realizar regulações compreensíveis pelos cidadãos e aplicáveis pelos técnicos e responsáveis da administração pública, em Espanha, contamos com várias regulações, entre as quais:

  • Real Decreto 1890/2008. Regulamento de Eficiência Energética em Instalações de Iluminação Exterior. (juntamente com o ITC correspondente).
  • Lei 31/1988 sobre a Proteção da Qualidade Astronómica dos Observatórios do Instituto de Astrofísica das Canárias.
  • DECRETO 190/2015, de 25 de agosto, de desenvolvimento da Lei 6/2001, de 31 de maio, de ordenação ambiental da iluminação para proteção do meio noturno. Generalitat de Catalunya.
  • Lei 7/2007 de 9 de julho de Gestão Integrada da Qualidade Ambiental. Andaluzia. E o adicionado posteriormente do ÍNDICE ESPECTRAL G.

Todas estas, com pequenas variações, limitam o conteúdo de “azuis” no espetro cromático da luminária e de quanta luz emite para o hemisfério superior. 

Na PRILUX, queremos facilitar-lhe a tomada de decisões quando escolher o cumprimento de qualquer destes regulamentos, tanto em novas obras como em substituição ou manutenção do equipamento já instalado, pelo que lhe oferecemos uma tabela de cumprimentos em função das características do led utilizado.

 

LED

IAC

ÍNDICE G

DECRETO 190/2015 GENERALITAT DE CATALUNYA

740

 

 

ZONAS E3 E E4

730

 

ZONAS E4

ZONAS E3 E E4

727

 

ZONAS E3 E E4

ZONAS E2, E3 E E4

722

BRANCO CÁLIDO

ZONAS E3 E E4

ZONAS E2, E3 E E4

PCA

BRANCO CÁLIDO, BRANCO SUPER CÁLIDO E ÂMBAR

ZONAS E1, E2, E3 E E4

ZONAS E1, E2, E3 E E4

DIF. PCA

BRANCO CÁLIDO, BRANCO SUPER CÁLIDO E ÂMBAR

ZONAS E1, E2, E3 E E4

ZONAS E1, E2, E3 E E4